terça-feira, 19 de outubro de 2010

Palavras de dor

O cruel raramente usa da violência física – tortura pela linguagem. Cheguei a conclusão que a crueldade nasce das palavras. Elas espezinham até as lágrimas. Depreciam e humilham até o chão. Assediam toda sua confiança. Batem cada letra até sangrar. Tudo começa num olhar de censura, até que a mente é invadida e devastada como quem leva uma surra. Um estupro ou coisa parecida. A mentira torna-se pura verdade. A ira torna-se mão amiga. Um tapa alento. É algo que vive entre o amor e a pervesidade. Invasão que esmaga – lenta e gradual – cada pedaço do seu amor, aquele tão precioso amor por você mesmo. Até que você começa a absorver as palavras e se perde dentro do que sempre acreditou. E sem que sequer perceba, a tristeza vem e te toma.

2 comentários:

Rony disse...

Olá Karla,

Me idemtifiquei com teu texto, e tomei a liberdade de transcrevê-lo em meu blog. Ele ilustra perfeitamente meu momento, a agonia que sinto agora e que parece, veio pra não ir embora tão cedo.

Parabéns.

Milla disse...

humm, pitadinhas de Camilla estão nesse texto também!